quinta-feira, 13 de agosto de 2020

Tenho até Amigos que Namoram...

 


Sofredores, apaixonados e ucranianos que lêem este blog, o post de hoje marca minha volta como Palpiteira Romântica. Para quem não acompanhou meu debut no assunto, segue o link do post:https://www.xn--sqsql-1qa.com/2019/04/palpiteira-romantica.html. Eu espero de verdade que o Blogger não trole, mas se o link quebrar, rolando a página inicial do blog para baixo, vocês conseguem achar as postagens mais antigas. 
Bem, comecemos do início, não é mesmo? Na Matemática o início é 0. Então, todo mundo entra na vida amorosa do 0, sem nada, nem ninguém. Tudo que vier depois disso é lucro. Sendo assim, posso assumir que a População Humana Romanticamente Ativa INTEIRA já passou por seus momentos de solidão. Até mesmo os muleques pegadores das candongas, terrores da noite e beijoqueiras de plantão, mesmo que não admitam, já se sentiram sozinhos. Faz parte da vida. 
Se conseguir alguém já é muito, MANTER é mais difícil ainda. Por isso, com certificado "sofrência" de qualidade, afirmo que  todo mundo que tá lendo já teve o coração partido alguma vez na vida. Não adianta negar, eu conheço meus leitores... No fundo, dói, mas vocês sabem que é verdade. 
Agora com quarentena, isolameto, pandemia, vírus, então, parece que a carência se tornou parte fundamental de nossas vidas. Cada um lida com isso de um jeito:
  •  Tem o povo que gosta de ostentar a sofrência e parte logo pro melodrama, mantendo textão no privado de como está se sentindo sozinho e abandonado. 
  • Existem aqueles que se fecham completamente, e por mais que também sintam, pra não incomodar acabam agindo como pedras de gelo, praticamente ice-bergs humanos, incomodando muito mais do que se simplesmente admitissem.
  • Também há os que fingem que não estão nem aí e saem mesmo, com várias pessoas, para disfarçar o vazio interno, e criarem uma ilusão de que está tudo bem, mesmo que ninguém permaneça ao lado no final.
Claro que estas são generalizações e você pode se encaixar em alguma delas, mais de uma, ou nenhuma. Mas no modo geral, é isso; vamos todos dar as mãos e sofrer juntos e quem sabe, talvez um dia, encontrar alguém que nos ajude a sair da fossa. Ou simplesmente ter amor próprio suficiente pra viver de boa. Isso eu tenho certeza que também todos podemos ter. ^^