quinta-feira, 10 de setembro de 2020

Em Busca do Normal

 




Fãs de Bob Esponja, pessoas normais e ucranianos que acessam este blog, hoje retomarei outro tema que já apareceu aqui: a normalidade. Fico me perguntando se pareço tão padrãozinho assim para me pedirem para falar sobre isso direto, ou se sou louca demais. De qualquer forma, segue o link do primeiro post do assunto, para quem não lembra e está com preguiça de rolar a página até o final:http://www.xn--sqsql-1qa.com/2019/04/quem-for-normal-que-atire-primeira-pedra_27.html#comment-form
Durante um período em que a expressão "novo normal" tem corrido na boca do povo, tocar no assunto é bastante interessante até. Como tinha dito no outro post, tudo que muda ou se transforma, deixa de ser normal. Sendo assim, nada que é novo, é normal. Daí já dá para ver como esse termo é controverso. Se antes tínhamos nossa própria maneira de fazer as coisas, de repente aparece um novo jeito novo de viver e prometem que isso vai ajudar as coisas a voltarem ao normal. 
Desculpa, mas isso é mentira. 
Nada vai voltar ao normal depois da pandemia de covid. Simplesmente não dá para passar por uma experiência dessas e tudo voltar a ser como antes. Por exemplo, quase ninguém precisava andar de máscara para se manter saudável, agora todo mundo precisa. Isso é qualquer coisa, menos normal. É uma condição de incerteza. Você pode sair, mas é melhor que não. Sinceramente, isso gera mais ansiedade até que um lockdown. Porque trancado em casa, você pode se desesperar para sair, mas sabe que enquanto está ali, não se contaminou, tem controle sobre isso. Agora quando você tem vontade de sair e sabe que pode, porém, assume o risco maior de infecção, pisa num terreno desafiador de incerteza. 
Não estou dizendo nada disso para fazer apologia à repressão, ou contra o uso de máscara. Apenas, que não dá para forçar a barra de que está tudo normal, porque não, não está.