quinta-feira, 10 de setembro de 2020

Em Busca do Normal

 




Fãs de Bob Esponja, pessoas normais e ucranianos que acessam este blog, hoje retomarei outro tema que já apareceu aqui: a normalidade. Fico me perguntando se pareço tão padrãozinho assim para me pedirem para falar sobre isso direto, ou se sou louca demais. De qualquer forma, segue o link do primeiro post do assunto, para quem não lembra e está com preguiça de rolar a página até o final:http://www.xn--sqsql-1qa.com/2019/04/quem-for-normal-que-atire-primeira-pedra_27.html#comment-form
Durante um período em que a expressão "novo normal" tem corrido na boca do povo, tocar no assunto é bastante interessante até. Como tinha dito no outro post, tudo que muda ou se transforma, deixa de ser normal. Sendo assim, nada que é novo, é normal. Daí já dá para ver como esse termo é controverso. Se antes tínhamos nossa própria maneira de fazer as coisas, de repente aparece um novo jeito novo de viver e prometem que isso vai ajudar as coisas a voltarem ao normal. 
Desculpa, mas isso é mentira. 
Nada vai voltar ao normal depois da pandemia de covid. Simplesmente não dá para passar por uma experiência dessas e tudo voltar a ser como antes. Por exemplo, quase ninguém precisava andar de máscara para se manter saudável, agora todo mundo precisa. Isso é qualquer coisa, menos normal. É uma condição de incerteza. Você pode sair, mas é melhor que não. Sinceramente, isso gera mais ansiedade até que um lockdown. Porque trancado em casa, você pode se desesperar para sair, mas sabe que enquanto está ali, não se contaminou, tem controle sobre isso. Agora quando você tem vontade de sair e sabe que pode, porém, assume o risco maior de infecção, pisa num terreno desafiador de incerteza. 
Não estou dizendo nada disso para fazer apologia à repressão, ou contra o uso de máscara. Apenas, que não dá para forçar a barra de que está tudo normal, porque não, não está. 

4 comentários:

  1. Bob Esponja marcou minha infância mesmo com tantas dúvidas que tenha me deixado hehehe E sobre o texto, tá certo, mesmo que a vacina chegue e todo mundo possa voltar a se aglomerar e tals, como antigamente, não vai voltar a ser como antes. Mas acho que, vai ser meio dividido: muitos vão ficar com medo de sair e preferir continuar em casa e outros que são mais vida loca vão se arriscar mesmo, não estarão nem aí pra nada. Com a vida que eu levo, acho que posso acabar virando esse povo que não liga pra nada, sei lá.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem não viu Bob Esponja na infância, estava numa sociedade alternativa, certeza. Sobre o que você disse, já é mais ou menos como as coisas estão, antes mesmo de uma vacina. Tudo deve mudar mais ainda. Mas a certeza a gente só vai ter quando chegar o tempo.

      Excluir
  2. Honestamente, também penso que a chance de voltarmos ao antigo estilo de vida são baixas. Apenas com uma vacina existe a chance desse antigo estilo de vida volte, mas certamente não voltará para todos.

    Para mim, pouca coisa realmente muda, já que pretendo continuar usando máscara mesmo depois da Pandemia. Porém, espero que a Vacina saia para evitar mais mortes, e que outros possam usufruir da vida como quiserem.

    No meu caso, vou ser aquele tipo de cara que fica no cantinho e toca a vida tranquilamente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eita, senti uma dose de pessimismo nesse comentário aí. O mais difícil é fazer a vacina sair. Isso não é algo que se cria da noite pro dia e também demanda muito conhecimento e ética dos profissionais envolvidos. Porém, depois de criada, assim como acontece com as outras vacinas, não vejo porque todo mundo não teria acesso.
      Mas fiquei curiosa, por que você deseja continuar usando máscara? Vale ressaltar que aqui no Brasil, fora do contexto da covid, usar máscara era sinônimo de más intenções.
      Quanto ao estilo de vida, o que você decidir; sair por aí, ou ficar na sua; será justo.

      Excluir