sexta-feira, 9 de outubro de 2020

6 Gateaway



1/2, socks, 50%, metadinha ou meia. Queria ter algum outro trocadilho melhor que se encaixasse com o termo que me pediram para comentar aqui hoje: a meia-entrada dos estudantes. A partir dos anos 90 alunos de todo o país tiveram o direito adquirido de poderem assistir a filmes no cinema por metade dos preços de entrada. Claro que agora o benefício não está sendo muito utilizado, já que não tem NENHUM filme em cartaz. Porém, quando era útil, a meia-entrada parecia algo muito justo, já que estudantes ainda estão se formando, logo, no geral, possuem menos dinheiro próprio do que alguém que já tem diploma. É uma questão muito legal porque a maioria das políticas leva em consideração a renda familiar das pessoas, sem abrir brechas para pessoas que moram de favor, ou simplesmente ainda não conseguiram dinheiro suficiente para viverem sozinhas e independentes, caso da maioria dos estudantes. Assim incentiva a cultura, facilita o acesso às artes e ainda ajuda a classe dos que trabalham para ser algo na vida, mas ainda não são droga nenhuma: nós, estudantes.
 Mas, como nesse mundo nada é perfeito, vou mostrar os pontos negativos também, e no final, vocês constroem a própria opinião de vocês. Começando pela velha e conhecida política do pão e circo. Pra quem não sabe, isso é uma artimanha de governos que não se preocupam com saúde, segurança e educação. Sou do ramo das artes, mas não vou passar pano: políticos usam a área para distrair a população de seus reais problemas. E o que isso tem a ver com a meia-entrada?  Bem, não existe "meia-entrada" em hospital particular, nem em escola. A alternativa para quem não tem dinheiro são as instituições públicas de saúde e ensino, que se não são sucateadas, servem de artimanhas de superfaturamento e/ou corrupção. "Se você pode pagar, não ocupe a vaga", essa frase muito dita ultimamente é um retrato imenso de um problema sério: não há vagas para todos. Se tudo estivesse funcionando direito, ricos, pobres e perdidos no meio do caminho; todos iriam conseguir tranquilamente ser atendidos juntos e não precisaríamos viver essa separação espacial entre as pessoas definida de acordo com o dinheiro que cada uma tem.
Mas não nos preocupemos com isso. Os cinemas reabriram e suas promoções voltaram.
rs

Nenhum comentário:

Postar um comentário