domingo, 29 de setembro de 2019

Fones de Ouvido

Têm momentos em que a gente simplesmente sente que não está na frequência do mundo ao nosso redor. Todos sorriem mas você sabe que aquilo está errado. Ou exatamente no momento em que se alegra, começam a chover reclamações ao seu redor.
Pode ser incômodo ouvir isso, mas existem coisas mais importantes acontecendo na sociedade do que seus sentimentos em determinada hora. Porém, dentro de você, isso não pode ser ignorado. Merece ser ouvido e respeitado (para rimar). Só nós mesmos caminhamos conosco 24 hrs por dia, em todos os momentos da vida, no bem e no mal. A gente precisa se entender um pouquinho.
Mas como fazer isso no meio da confusão de rotinas corridas e outras milhares de cobranças e necessidades dos que estão ao nosso redor? Eu ponho fones de ouvido. Não precisa ser no máximo quando tem alguém falando. Nem dá pra ser o tempo todo, claro. O objeto desperta carência em quem gosta de ser muito ouvido. Mas sempre que possível, procuro uma música que traduza meu pensamento, minhas alegrias e tristezas. Programo, coloco os fones (para não incomodar também) e aperto o play.  É uma ação introspectiva. É libertador.

quinta-feira, 12 de setembro de 2019

Eventos Literários



Não, ainda não foi dessa vez que o blog acabou. Peço desculpas pela demora mas o post de hoje precisava de um tempinho para recolher informações, mas garanto, vai valer muito a pena. Como dá para ver nas imagens da "ótima" câmera do meu celular (e quem me segue sabe), meus últimos dois fins de semana se resumiram em Bienal do Livro. 
Já é quase um evento oficial na minha agenda, desde quando eu lia meus gibis da Mônica. Sempre que chega a bienal, é o momento de ficar off e aumentar a lista de leitura. Nem preciso dizer que, indo como autora nos últimos anos, realizei um sonho <3
Você já foi em algum evento literário? Daqueles em livraria que distribuem brindes e etc? Pois é imagine um negócio desses numa área absurdamente maior. Para se ter uma ideia: o evento ocorreu no Riocentro, um espaço de convenções que mede apenas uns singelos 98 mil metros quadrados (fora a área verde ao redor). Para quem tem a livraria como habitat natural, estar lá nas duas semanas em que ocorre pode ser mais extasiante do que ir a um show. Digo por experiência própria ^^
É tão legal ver tanta gente reunida em prol da leitura! Dá até esperança na humanidade. E a energia lá é tão intensa que nem censuras passam; e até mesmo as filas enormes,em stands de livrarias e editoras mais procuradas, são compensadas. Dá para encontrar livro de tudo que você possa imaginar lá dentro; fora as palestras, eventos, autógrafos, encontros com autores e etc... É definitivamente uma das melhores coisas da complicada cidade do Rio de Janeiro.
Lado ruim: quem vai, geralmente acaba gastando mais do que pretendia.